4 dicas de educação financeira para empresas

Compartilhe esse post:
educação financeira para empresas - capa

*Guest post por Tiny.

Boas práticas de educação financeira para empresas podem ajudar um CNPJ a evitar prejuízos e ter maior visibilidade de resultados. Saiba como

Quando as empresas têm uma boa relação com seu dinheiro, podemos dizer que os princípios de uma boa educação financeira estão sendo aplicados. Isso quer dizer que os gestores sabem quanto podem investir ou a quantidade de dinheiro que precisam economizar para fugir do vermelho, por exemplo.

A falta de planejamento quando se trata de finanças pode acarretar em falta de informações importantes na hora das negociações, ocasiona erros nos cálculos de preço e até pode causar problemas no fluxo de caixa. 

Dicas de educação financeira para empresas

Fazer a gestão financeira é fundamental em qualquer negócio, independentemente do seu tamanho e de quanto fatura por mês. Ter as finanças organizadas é importante para o futuro dos negócios e de sua estabilidade econômica.

Conforme um estudo disponibilizado pela Serasa, a quantidade de empresas em situação de inadimplência aumentou em 52 mil em janeiro/21, totalizando 5,8 milhões de empresas inadimplentes.

O mesmo estudo ainda indica um aumento de 12,7% na busca por crédito em fevereiro/21 na comparação com o mesmo mês do ano passado. Nas micro e pequenas empresas a queda foi de 13,2% e nas grandes houve alta de 4,2%. Somente houve queda na procura por crédito nas médias empresas em fevereiro/21, com um recuo de 0,5% ao comparar os dois anos.

Por isso, separamos algumas dicas de como você pode adotar algumas medidas de educação financeira para que seu negócio possa crescer de forma saudável.

Dica 1: Não misture contas pessoais com as empresariais

Mesmo se você for um pequeno empresário, cuide para não pagar as contas pessoais com o dinheiro da empresa e vice-versa. Não misturar as contas bancárias é um dos primeiros passos para uma boa gestão. 

Imagine o seguinte cenário: um gestor costuma utilizar o dinheiro do caixa da empresa para pagar o seu cafezinho diário. Se cada café custa R$ 5,00, ao final do mês vão faltar R$ 150,00 no caixa. Esse dinheiro poderia ter sido investido em anúncios nas redes sociais para melhorar as vendas ou até em um happy hour para comemorar uma conquista do time. 

Dica 2: Centralize as contas

É difícil saber quanto a empresa tem de receita ou despesa se cada conta a pagar ou a receber está registrada em um lugar diferente. O ideal é que todas sejam registradas no mesmo local para que toda e qualquer análise seja facilitada. 

Para isso, existem duas formas básicas: planilhas eletrônicas ou ERP.

educação financeira para empresas - interna

Planilhas eletrônicas

As planilhas eletrônicas, como Excel ou Google Sheet, são ótimas ferramentas para registro de contas, sejam elas empresariais ou pessoais. É preciso inserir manualmente cada conta que a empresa deve pagar e também os valores recebidos dos clientes.

ERP

O ERP (Enterprise Resource Planning) é um sistema que auxilia na gestão financeira das empresas. Ele permite a inclusão das contas a pagar a partir das compras feitas pela empresa e das contas a receber conforme as vendas realizadas. A vantagem é que tudo é automatizado, economizando tempo e oferecendo relatórios precisos.

Dica 3: Avalie o Fluxo de Caixa 

O fluxo de caixa reúne todas as movimentações financeiras futuras da empresa. Ele é uma boa fonte de informações, pois soma todas as receitas e despesas da empresa para que você entenda quais serão os valores totais a pagar e a receber em cada período de tempo. 

Analisar o fluxo de caixa é importante para tomar decisões estratégicas no negócio. Se a empresa tem apenas R$ 10.000 para receber em um mês, é realmente indicado fazer um investimento de R$ 20.000 no mesmo período? 

As informações desse relatório se tornam um apoio para melhorar a gestão financeira na empresa. Mas para que funcione, todas as contas precisam estar registradas em um único lugar. Ao usar um ERP, a vantagem é que, tanto as contas a pagar quanto a receber nutrem automaticamente o Fluxo de Caixa, evitando o esquecimento de qualquer conta. 

Dica 4: Analise o DRE

O Demonstrativo de Resultado (DRE) também tem uma função importante na gestão financeira. Ele é um relatório contábil que indica se a empresa está obtendo lucro ou prejuízo dentro de um determinado período.

Com ele, a empresa consegue analisar as receitas e despesas da empresa conforme categoria, como por exemplo, compras e vendas. Ainda, todos os impostos pagos ficam reunidos, oferecendo uma visão completa do financeiro. 

Gestão financeira é essencial 

Para que uma empresa cresça de forma sólida e sustentável, é preciso ter controle sobre o financeiro. Sem conhecimento sobre a movimentação financeira da empresa, é difícil decidir qual é o melhor momento para realizar investimentos ou cortar gastos.

Com o intuito de manter as informações centralizadas e organizadas, o ideal é usar um ERP, como o Tiny. Ele oferece diversas ferramentas para que a empresa possa ter sempre dados confiáveis em mãos. Reúna as contas a pagar e a receber, gere Fluxo de Caixa e analise o DRE com o Tiny. 

Usando o Tiny, sempre que precisar entender a situação financeira da empresa os dados estarão disponíveis para consulta e você tomará melhores decisões.

Leia também:

4 passos para criar um relatório de vendas no Excel

3 dicas para melhorar o score de crédito do seu CNPJ

Margem de lucro: o que é e como calcular?

Compartilhe esse post: