Como sua plataforma de e-commerce pode impactar nas vendas no marketplace

Compartilhe esse post:
plataforma - capa

*Guest post por Tray.

Sua plataforma de e-commerce pode interferir no seu desempenho de vendas no marketplace. Saiba mais como integrar bem estas duas operações

O empreendedorismo fica mais acessível a cada passo que a evolução da internet realiza. 

Deste modo, podemos dizer que o caminho entre o comprador e o vendedor está cada vez mais curto. Um dos principais fatores dessa aproximação, sem dúvida, é o marketplace. 

Marketplaces, no geral, são grandes vendedores, com marcas altamente reconhecidas, que emprestam sua audiência para os demais sellers. Esse recurso facilita que os empreendedores brasileiros tenham espaço e audiência para iniciar as vendas. 

Porém, existe um caminho a ser percorrido até colocar os produtos para venda nos marketplaces. Um dos pontos mais importantes é a escolha da plataforma de e-commerce, fator que pode impactar diretamente na performance de vendas. 

Confira os motivos desse impacto e como a plataforma pode ser um diferencial. 

Plataforma de e-commerce para abrir loja virtual 

Alguns marketplaces permitem que você realize vendas sem, necessariamente, ter uma loja virtual estruturada em uma plataforma de e-commerce. 

A maioria dessas lojas virtuais precisam que o lojista tenha um CNPJ para entrar no marketplace. Porém, algumas também aceitam vendedores apenas com o número de inscrição do CPF.

Por outro lado, ter essas lojas individuais em diversos marketplaces sem uma centralização é extremamente trabalhoso. Uma vez que os cadastros são individuais, as atualizações precisam ser feitas uma por uma, o estoque não está integrado, as vendas ficam espaçadas e não aparecem reunidas em um só lugar. 

Ou seja, as chances de erros serem cometidos são muito grandes. Em razão de não ter uma plataforma de e-commerce para reunir todas as informações, é como ter diversas lojas sem nenhuma conexão. 

Neste caso, podemos considerar que a gestão de e-commerce seria mais eficiente em uma loja ou em várias com o uso da plataforma. 

Além disso, uma plataforma de e-commerce permite que você tenha sua própria loja virtual na hora que desejar. Fora as vendas no marketplace, existe a possibilidade de realizar suas próprias vendas e construir o nome de sua marca no mercado, quando você estiver pronto para investir. 

Sem dúvida, concentrar esforços em um só local traz muito mais credibilidade para seu negócio.

Impacto da plataforma de e-commerce nas vendas do marketplace

Uma plataforma é extremamente indicada para expandir sua marca e negócio profissionalmente. Mas, isso não significa que você deve escolher qualquer uma. 

Cada plataforma de e-commerce possui recursos específicos e indicados para diferentes perfis de negócio. Neste caso, se você pretende vender em marketplaces, é importante selecionar uma plataforma que possua ferramentas com esse objetivo. 

Fique de olho nos detalhes imprescindíveis para facilitar a gestão operacional do negócio e vender mais nos marketplaces.

Integrações nativas 

Esse é um dos pontos mais importantes a se considerar. 

A maioria das plataformas de e-commerce pode integrar com marketplace, desde que seja contratado um ERP para fazer essa ponte. 

Fora isso, também existe a possibilidade de contratar uma plataforma de e-commerce que já possua integrações nativas com os marketplaces. Ou seja, não é necessário a contratação de uma segunda ferramenta para fazer a integração – o que é muito interessante para quem deseja ter um negócio multicanal 100% no digital.

Desta forma, optar por uma integração nativa, além de gerar maior facilidade e flexibilidade, pode proporcionar economia para seu negócio. 

plataforma - interna

Atualizações em massa 

As atualizações em massa são um ponto de atenção nas plataformas de e-commerce durante a integração com os marketplaces. E esta é uma das principais vantagens das plataformas com integração nativa. 

Imagine vender em dez marketplaces diferentes e operacionalizar alterações em todos eles de forma individual. Algumas simples mudanças do fornecedor que gerassem a necessidade de modificar o preço de 25 produtos, por exemplo, implicariam em 250 atualizações de produto de forma rápida para não perder dinheiro.  Consegue pensar em algo assim? É humanamente impossível. 

Se a cada foto atualizada, descrição, preço, valor do frete e outros atributos, você precisar fazer essa atualização manualmente e em cada marketplace, muito tempo será desperdiçado. Tempo que deve ser focado em criar estratégias para melhorar as vendas. Afinal, tempo é dinheiro! 

Por esse motivo, contratar desde o início uma plataforma com essas integrações nativas que permitam atualizar informações de forma massiva gera impacto direto nas vendas. 

Integração de estoque

Se atualizar informações do item não é algo fácil de ser feito de forma individual nas vendas multicanais, mais trabalhoso ainda seria a atualização de estoque. A cada produto vendido, você atualizar o estoque manualmente nos marketplaces restantes. Será que essa é uma operação rentável e constante? 

Por isso, é necessário que uma ferramenta reúna e atualize todas essas informações de forma automática e em massa. Seja através de integrações nativas de uma plataforma de e-commerce ou com a contratação de um ERP que se conecte à plataforma. 

Assim, podemos destacar o quanto a escolha da plataforma pode influenciar na performance de sua loja nos marketplaces. Afinal, com essa gestão facilitada, a probabilidade que seus produtos fiquem desatualizados e fora do comportamento do mercado é muito menor.

Como escolher o melhor marketplace 

Agora que já pontuamos as vantagens de ter uma plataforma de e-commerce com integrações nativas com os marketplaces, vamos descobrir qual o melhor deles para realizar suas vendas

De antemão, é importante frisar que não existe o melhor marketplace de todos. E sim, o melhor marketplace para seu negócio. Logo, não adianta vender em apenas um, assim como não é positivo vender em todos os existentes,pois, alguns simplesmente não farão sentido para seu segmento de atuação. 

Marketplaces de nicho

Os marketplaces de nicho são bem segmentados. 

De fato, o volume de acessos deles é mais baixo. Entretanto, o público-alvo desta categoria é altamente selecionado. 

Quando falamos sobre nicho, nos referimos a marketplaces selecionados para uma categoria, como: móveis para casa e escritório, vestuário feminino, vestuário infantil, artigos artesanais, eletrônicos, artigos esportivos etc. 

Se seu produto se encaixa em um marketplace de nicho, vale muito a pena testar a performance neste canal de venda. Afinal, ele é bem direcionado para seu público!

Marketplaces universais

Você pode vender em um canal de nicho e também em marketplaces universais. Um não anula o outro, muito pelo contrário. Uma estratégia pode impulsionar a outra!

Marketplaces universais, como o próprio nome já diz, são canais mais abrangentes e que cobrem diversas categorias de produtos. 

Um bom exemplo é a B2W Marketplace: com os sites: Americanas, Submarino e Shoptime.

Neste caso, as lojas possuem espaço de vendas para a maioria das categorias em um só lugar. Isso é extremamente positivo, pois, além da confiança dos clientes, esses marketplaces permitem que o consumidor realize a compra de diferentes produtos sem precisar ir para outro canal de venda

De fato, tudo dependerá de sua estratégia. O importante é garantir que sua loja virtual aproveite ao máximo a audiência dos marketplaces e os recursos oferecidos pela plataforma de e-commerce para não comprometer seus resultados e sim te ajudar a atingi-los mais rapidamente.

Leia também:

O que é e-commerce e como começar um?

Estatísticas do e-commerce: dados importantes sobre o setor

O que vender na internet?

Compartilhe esse post: