7 erros mais comuns de quem vende nas redes sociais

Compartilhe esse post:
redes sociais - capa

Muita gente costuma vender nas redes sociais, mas acaba cometendo erros que podem prejudicar o negócio. Veja como evitá-los e se destacar

As redes sociais têm se tornado um canal de vendas cada vez mais forte na internet. Percebendo esta tendência, as próprias plataformas estão lançando ferramentas que incentivam este comportamento por parte dos lojistas e dos consumidores. 

O Instagram, uma das redes sociais mais populares no Brasil, já contabiliza cerca de 15 milhões de perfis comerciais cadastrados, como apontou o FHOX. Ou seja: são 15 milhões de lojas ativas no aplicativo, muitas, inclusive, não possuem um e-commerce próprio e nem atuam em marketplaces. 

A importância de estar nas redes sociais

Estar presente nas redes sociais, hoje, é extremamente importante. Isto é um fato, independentemente de você vender apenas por este canal ou também estar presente em outros, como marketplace, seu site ou em loja física.

Isso porque, atualmente, todos estão presentes em alguma rede social. Não importa quem é o seu público, qual a idade, gênero, o que ele gosta de fazer ou como se comporta. Hoje, cada público-alvo está presente em pelo uma das tantas redes que existem

E já dizia o poeta: “é preciso ir aonde o povo está”. Se você quer ser visto, lembrado e deseja criar um relacionamento com seu público, precisa estar presente nos canais em que ele engaja e acompanha. 

Outra vantagem é que as redes sociais não têm custo para a loja. Ter um perfil, desenvolver uma estratégia de marketing e conteúdo, interagir com seu público… Tudo isso você pode fazer gratuitamente. 

E ao contrário de um site, que você precisa levar clientes e criar uma audiência para o seu e-mail marketing, por exemplo, por ali, essa audiência já existe! Fica mais fácil criar uma estratégia e anúncios (esses, sim, são pagos) direcionados.

Mas muitos lojistas já estão nas redes sociais e não conseguem perceber no seu negócio os benefícios que este canal pode trazer. A verdade é que muitos não usam as plataformas da melhor maneira possível, o que atrapalha nos resultados.

Hoje, vamos falar dos 7 erros que você pode estar cometendo no seu perfil nas redes sociais e, claro, te mostrar como solucioná-los! Confira a seguir:

1 – Usar perfil pessoal em vez de perfil comercial

As redes sociais, primeiro, eram um espaço de interação direcionado para as pessoas físicas. Depois, cada plataforma, como o Facebook e o Instagram, foram desenvolvendo funcionalidades e ferramentas voltadas para perfis comerciais. Mas muitas pessoas não fazem essa diferenciação na hora de criar o perfil da sua loja.

No Facebook, é preciso criar uma página; e não um perfil. Já no Instagram, existe o perfil comercial. Ambos te dão acesso a funcionalidades exclusivas, como métricas, informações do seu público e algumas possibilidades como acesso ao Instagram Shopping.

Nas modalidades destinadas à pessoa física, você não tem acesso a essas facilidades que vão ajudar a mensurar as suas ações, as vendas e direcionar os seus anúncios.

2 – Não preencher a biografia com as informações essenciais da sua loja

Pode parecer bobeira, ou você pode até pensar “se o cliente quiser saber, ele pergunta no direct”. Pois saiba que se o cliente não estiver precisando muito do que você vende, ou não estiver encantado pelo seu produto e a sua loja, a chance dele não perguntar é grande.

Por isso, facilite para o seu público, deixando as informações claras e em lugar de fácil acesso: a “Bio”, no Instagram, ou na aba “Sobre”, do Facebook. Isso melhora a experiência de compra e passa uma sensação de transparência e confiança.

Então, informe: 

  • onde a sua loja está localizada
  • se vocês entregam para todo o Brasil
  • quais as formas de pagamento aceitas 
  • horário de atendimento.
redes sociais - interna

3 – Não interagir com o público

Like é bom e todo mundo gosta! Por isso, interagir com seu público deve ser uma das suas principais atividades dentro da rede social, não algo a ser feito esporadicamente. 

Curta e responda os comentários nas suas postagens, responda às mensagens privadas o quanto antes, curta e comente as fotos em que os clientes tiram com o seu produto (e se achar que é interessante, compartilhe no seu perfil!). 

Incentive a interação nos seus posts, pedindo que as pessoas comentem o que acharam da postagem, ou que marquem alguém que gostaria de ver aquele post, por exemplo. 

Interaja, também, através dos stories. Por lá, é possível criar enquetes, calendários, caixa de perguntas e respostas. A ideia é trazer o cliente para perto e mostrar o quanto a opinião dele é importante para o seu negócio.

4 – Não definir a sua estratégia de marketing

Não ter um plano de marketing para as redes sociais pode fazer com que a sua marca seja apenas “mais uma” na plataforma. E sem planejamento estratégico, ainda corre o risco de ser prejudicada.

Entenda quais os objetivos do seu negócio com a presença nas redes sociais: conquistar mais clientes, aumentar as vendas, gerar tráfego… Com isso estabelecido, analise as melhores estratégias para alcançar seu objetivo e como você vai usar as possibilidades das redes para fazer isso acontecer: vídeos, fotos, stories? Qual a periodicidade? Como você vai se comunicar?

Defina, também, em quais redes sociais a sua marca estará presente. Não seja “maria vai com as outras” e crie um perfil em todas as redes só porque todo mundo está. Você não conseguirá se dedicar a todas, realizando um trabalho que não tenha tanta relevância.

Estude o seu negócio e avalie quais fazem mais sentido para o seu perfil e o seu público-alvo. Afinal, estar presente em um lugar onde ele não está, não faz sentido, não converte e nem gera tráfego.

5 – Não conhecer as ferramentas disponíveis

Estude as possibilidades que as plataformas dão para os perfis comerciais e as páginas. Entenda o que você consegue fazer e como obter o melhor uso das ferramentas.

Por exemplo, não adianta vender pelo Instagram e não usar a aba Lojas, ou Instagram Shopping, que é aquela marcação de uma sacolinha que fica no post. 

Quando alguém bate o olho naquela marcação, já sabe que ali ela encontra o preço do item e depois poderá ser direcionada diretamente para a página do produto no site, caso queira finalizar a compra. Lembrando que, para isso, você precisa ter um site ou uma página onde vende os seus produtos. 

Cadastre-se na B2W Marketplace e venda nos maiores site dos Brasil

6 – Não trabalhar o marketing de conteúdo

Vender pelas redes sociais precisa de um trabalho forte de marketing de conteúdo, que é uma linha do marketing que busca fornecer informações relevantes para o seu público e, assim, se fazer presente na vida dele. Sem necessariamente ficar falando todo o tempo “compre, compre, compre”. 

Aqui, você precisa esquecer o posicionamento panfletário e oferecer material interessante, em diversos formatos, abordando assuntos que vão muito além do produtos que você vende. 

Então, não adianta só postar foto dos seus itens e preço. É preciso contextualizar, trazer na legenda e na foto ou vídeo elementos que criem uma conexão com seu público, que façam menção a fatos externos à sua loja. 

O que isso engloba? Você pode citar um meme, um fato atual que tenha tido uma grande repercussão, músicas, e personagens que tenham a ver com seu público. Assim, ficará mais fácil dele se reconhecer no seu negócio.

 7- Não se preparar para o crescimento

Crescer é um dos objetivos de todo lojista. Vender mais, conquistar mais clientes, fidelizar os antigos, ter mais acessos… Quando isso acontece e a sua loja está apenas nas redes sociais, fica difícil guiar este crescimento, tendo total controle dele. 

Por isso é importante monitorar o seu negócio constantemente para entender quando é a hora certa de migrar, seja para um e-commerce próprio, ou para um marketplace. Nesses canais, você terá mais suporte para atender um número maior de clientes, trabalhar melhor o remarketing e garantir uma experiência mais ajustada com o e-commerce.

Sabendo no que você está errando, fica mais fácil redirecionar os seus esforços nas redes sociais, construindo uma nova estratégia e aumentar as suas chances de alavancar o seu negócio por lá também!

Leia também:

Como definir KPIs para sua estratégia de marketing?

O que é CAC e qual a sua importância para o e-commerce?

Telegram: como usar essa ferramenta na sua estratégia de marketing digital?

Compartilhe esse post: