Estatísticas do e-commerce: dados importantes sobre o setor

Compartilhe esse post:
estatísticas do e-commerce - capa

O varejo online está em constante mudança. Por isso, estar atento às principais estatísticas do e-commerce é imprescindível para os lojistas que buscam se destacar no mercado. 

Com tantas mudanças na comercialização de produtos e no hábito de compra dos consumidores, é preciso estar atualizado com as novidades do setor para manter o ritmo. E, não há maneira melhor de ficar por dentro de tudo que está acontecendo no seu segmento, do que analisando alguns números e dados estatísticos do e-commerce no Brasil. 

Para te ajudar nessa análise, separamos as principais estatísticas do e-commerce para você ficar de olho. 

Estatísticas do e-commerce

Segundo um levantamento realizado pela Mastercard, em parceria com a Kantar, a cada três dias, 15% dos brasileiros compram algum produto online. Como resultado, atualmente, o Brasil lidera o ranking de comércio eletrônico na América Latina. 

  • Em 2020, 46% dos brasileiros aumentaram o volume de compras pela internet, enquanto 7% compraram online pela primeira vez. (Mastercard e AMI)
  • 72% dos brasileiros alteraram seus hábitos de consumo após a pandemia. (FecomercioSP)

Reflexos da pandemia

A chegada da pandemia impulsionou diversas mudanças no varejo e mudou o hábito de consumo dos brasileiros, trazendo um crescimento bastante acelerado para o e-commerce. De acordo com o relatório Setores do E-commerce no Brasil, realizado pela Conversion, 86% dos brasileiros conectados à internet realizaram compras durante a pandemia.

  • Até agosto de 2020, o crescimento do e-commerce no Brasil foi de 56,8% se comparado com os oito primeiros meses de 2019. (ABComm e Compre & Confie)
  • O número de transações efetuadas subiu de 63,4 bilhões para 105,6 bilhões nos seis primeiros meses de 2020, um crescimento de 65,7%. (ABComm e Compre & Confie)
  • Apenas no primeiro semestre de 2020, foram registrados cerca de 90,8 milhões de pedidos online. (Ebit)

Com o aumento significativo no número de pedidos realizados pela internet, o e-commerce no Brasil registrou um crescimento de 47% no faturamento durante os primeiros seis meses de 2020, maior alta em 20 anos. (Ebit)

Apesar dessa evolução significativa, o tíquete médio – o valor médio das vendas em um determinado período – acabou diminuindo em relação ao ano passado. Apenas no 3º trimestre de 2020, quando tivemos as vendas potencializadas por datas como Dia dos Pais e a Semana do Brasil, percebemos um aumento do valor em comparação ao último ano. (NeoTrust)

Consumidores

Com o crescimento do varejo online e a pandemia fazendo mais pessoas ficarem em casa, foi nítida a chegada de novos consumidores no e-commerce. De acordo com o relatório NeoTrust, realizado pela Compre & Confie, em parceria com o E-commerce Brasil, durante o 2º trimestre de 2020, tivemos 5,7 milhões de novos consumidores, enquanto no 3º trimestre 5,8 milhões de pessoas realizaram a primeira compra online. 

Quem são? 

As consumidoras mulheres são protagonistas quando o assunto é comprar online. Segundo o relatório realizado pela Neotrust, em 2019, elas foram responsáveis por 52,1% das compras. E durante 2020, esse número só cresceu. 

Apesar do público masculino realizar menos pedidos online, eles gastam valores mais altos em suas compras. Durante os três primeiros trimestres de 2020, o tíquete médio deles foi cerca de R$ 475, enquanto o delas foi R$ 360. (Neotrust)

Quando analisamos a faixa etária dos consumidores do varejo online, percebemos que aqueles entre 36 e 50 anos realizaram mais compras durante o ano. Até setembro de 2020, a idade média do consumidor é 37 anos. (Neotrust)

Onde estão?

Quando analisamos as estatísticas do e-commerce com foco na regionalidade, o Nordeste apresentou o maior aumento no faturamento quando comparado ao desempenho de 2019, registrando uma alta de 60,9%. Em segundo lugar, ficou o Sudeste com um crescimento de  54,9%. Em terceiro, a região Centro-Oeste com 47,1%, seguida pelo Sul com 39,2%. Já a Norte registrou uma alta de  44,1%. (ABComm e Movimento Compre & Confie)

O que consomem? 

Quanto aos segmentos de venda que tiveram maior crescimento no primeiro semestre de 2020, podemos destacar Beleza e Perfumaria, Móveis e Eletroportáteis. (ABComm e Movimento Compre & Confie)

Black Friday

Com o e-commerce apresentando tantos resultados positivos durante o ano, na Black Friday 2020 não poderia ter sido diferente. Confira alguns números do relatório realizado pela Neotrust, Movimento Compre & Confie e Clearsale, com patrocínio da Elo. 

  • Em 2020, a Black Friday teve um faturamento total de R$5,1 bilhão, com uma alta de 31% comparado ao último ano.
  • Ao todo 7,6 milhões de pedidos foram realizados durante a Black Friday. Um aumento de 24,7% com relação a 2019. 
  • 344 mil novos consumidores realizaram suas primeiras compras de Black Friday em 2020. 
  • O ticket médio passou de R$636,15, em 2019, para R$668,70. Representando uma alta de 5,1%. 

Marketplaces 

A chegada da pandemia, se tornou um momento decisivo para muitos varejistas, e a adaptação para o digital passou a ser uma questão de sobrevivência. Tendo isso em vista, os marketplaces começaram a ganhar ainda mais força dentro do varejo online. 

  • Apenas nos primeiros seis meses do ano, cerca de 78% do faturamento total das lojas virtuais brasileiras veio da atuação dos marketplaces. (ABComm)
  • Durante o primeiro semestre de 2020, R$ 30 bilhões do faturamento foram de lojas que possuem marketplaces. Um crescimento de 56% em relação ao mesmo período de 2019. (Ebit|Nielsen)
  • Para 75% dos varejistas, o motivo principal para a entrada nos marketplaces é o aumento das vendas. (Olist)

O B2W Marketplace, por exemplo, seguiu essa linha e teve um crescimento expressivo durante o ano de 2020, impulsionado tanto pela chegada de novos lojistas, quanto pelos novos consumidores online. Atualmente, já contamos com mais de 20,8 milhões de clientes ativos, vendendo seus produtos nas nossas lojas online – Americanas, Americanas Empresas, Submarino e Shoptime. 

  • O número de visitas nos sites já ultrapassou a marca de 1 bilhão durante esse ano. 
  • No  2º trimestre de 2020, tivemos um aumento de 95% no número de pedidos e um crescimento 171% em unidades vendidas, totalizando mais de 31MM. 
  •  O número de produtos ofertados nos sites totalizou 56,4 milhões ao final do 3º trimestre de 2020, crescimento de 184,6% em comparação ao mesmo período do último ano. 

Se você ainda não vende online, que tal aproveitar esse mercado para começar a destacar seus produtos? Conheça mais sobre e-commerce e o marketplace.  

Leia também:

6 dicas que mostram como atrair clientes e vender mais online

O que é packing e como você pode melhorar o processo

Early Adopters: quem são e como as marcas podem conquistar esse público?

Compartilhe esse post: