5 pontos que o profissional autônomo deve se atentar

Compartilhe esse post:
profissional autônomo

Hoje, não é raro ver um profissional autônomo que prefere este modelo de trabalho aos contratos fixos da CLT – Consolidação de Leis do Trabalho. Dentre as vantagens está a maior liberdade, a possibilidade de realizar trabalhos distintos simultaneamente e a flexibilidade de horários e rotina. Seria a realização do sonho de ser dono de si? 

Mas é preciso se lembrar que você não estará amparado pelas leis trabalhistas. Então, é importante se atentar a alguns pontos que vão fazer o trabalho e a vida do profissional autônomo fluir melhor. São questões muitas vezes simples, mas que até então, não eram da competência do profissional. Mas agora que ele é o próprio patrão, precisa ficar de olho!

Por isso, trouxemos, hoje, algumas dicas interessantes para quem já trabalha por conta própria ou quer iniciar neste caminho. Assim, fica fácil criar um planejamento e evitar surpresas. Confira!

Separe finanças pessoais e profissionais

O primeiro conselho para quem deseja seguir como profissional autônomo é separar suas finanças. Ainda que, no começo, isso não pareça influenciar tanto na saúde financeira do seu negócio, à medida que ele for crescendo e expandindo, você verá o quão importante era ter feito isto desde sempre.

Fazer a separação dos ganhos e gastos profissionais e pessoais é importante para que você tenha o diagnóstico do seu negócio. Assim, desde o começo você poderá entendê-lo. Quanto você gasta para mantê-lo? O quanto lucra? O quanto pode reinvestir, expandir e se planejar?

Quando essa dica não é levada em consideração, fica difícil fazer essas análises e entender se o seu negócio realmente está decolando ou se precisa de ajustes. E caso ele não esteja dando o retorno financeiro esperado, que isso não comprometa mais do que o que seria saudável as suas finanças pessoais. 

Recolha o INSS

Profissionais cuja contratação se deu através da CLT não precisam se preocupar em recolher impostos ou pagar INSS – Instituto Nacional do Seguro Social. A própria empresa cuida disso e faz os devidos descontos no salário. Mas e quem segue trabalhando de forma autônoma? Bom, aí é preciso fazer você mesmo esse recolhimento.

A vantagem de formalizar o seu negócio é que isso traz alguns benefícios. A começar pela maior credibilidade para o seu negócio, a possibilidade de ter maior controle (e separação) entre o seu CPF e CNPJ, uma tributação simplificada e a contratação de pessoas e outros serviços.

Outro grande benefício de pagar o INSS é ter acesso a alguns benefícios que o trabalhador com carteira assinada tem, como auxílio-doença, invalidez, salário-maternidade, auxílio reclusão, dentre outros. Caso você, profissional autônomo, sofra um acidente que te impossibilite de trabalhar um por um período, por exemplo, sem recolher o INSS, você ficará descoberto deste benefício, dependendo apenas do seu planejamento financeiro.

E por fim, mas igualmente importante, é que o recolhimento do INSS te dá direito à aposentadoria por idade ou por tempo de serviço. Com ela, você ficará garantido com, pelo menos, um salário mínimo após atingir a idade ou o tempo de contribuição necessários.

Explore parcerias que o ajudem a se desenvolver

Outra grande dica para quem deseja ser um profissional autônomo é: identifique quem pode ajudar o seu negócio a crescer e ganhar mais visibilidade no mercado e entenda como firmar parcerias de valor com eles.

Hoje, é possível firmar parcerias interessantes, que te ajudem a alavancar seus serviço/produto, se especializar na sua área e abrir os horizontes do mercado para a sua operação. Quem tem uma loja física hoje, ou até mesmo um e-commerce próprio, pode, por exemplo, explorar sua atuação em um marketplace. Uma parceria que não requer investimento inicial e que te permite expor seus produtos para milhares de consumidores por dia – número esse que, talvez, por conta própria, você não teria acesso. No segundo trimestre de 2020, os sites da Americanas, Submarino e Shoptime, por exemplo, ultrapassaram 1 bilhão de visitas. 

Outra vantagem é que alguns canais, como o B2W Marketplace, te ajudam com treinamento e conteúdos focados, que visam melhorar a sua performance como varejista, trazer insights relevantes sobre o mercado, sua loja e o seu consumidor. Entre os meses de abril e junho deste ano, mais de 2 mil lojistas receberam treinamentos online. 

Já quem presta serviço, por exemplo, pode tentar fechar parcerias com micro influenciadores, que podem divulgar os seus produtos nas redes sociais nas quais têm destaque, gerando impacto em um público próximo a você. Também vale a pena olhar outras marcas que façam sentido estar associadas à sua.  

Organize sua agenda!

Profissionais autônomos, justamente por estarem nesta posição, costumam não organizar suas agendas para trabalharem de uma forma saudável. Com isso, acabam trabalhando mais – bem mais! – do que o indicado para manter a saúde física e mental em dia. 

Dê a devida importância para momentos de lazer e descanso durante o seu dia/semana, entendendo que trabalho autônomo não significa trabalho sem fim. Essa organização faz com que seu trabalho flua melhor e que você seja mais produtivo, caso seu trabalho demande criatividade ou processos complexos de análise. 

Organize sua agenda anual para que você consiga tirar férias, por exemplo. Ela não é um direito do trabalhador à toa. 

Tenha sempre um plano B

Uma boa opção para quem deseja seguir como profissional autônomo é ter sempre um plano B – mesmo que ele seja inicial. Aqui, a ideia é que antes de realmente abrir mão de um emprego para se dedicar ao seu negócio, é que você comece levando os dois em paralelo. 

Assim, você tem garantias financeiras e os benefícios que a CLT proporciona enquanto se dedica ao seu negócio e faz com que ele se torne uma operação sólida. Nesse período, você precisará equilibrar muito bem as duas funções, buscando se desenvolver como empreendedor e planejando seu novo negócio, dando os primeiros passos e sentindo a recepção que o mercado tem dele.

Leia também:

 Ganhar dinheiro em casa: é possível?

O que é marketplace e como ele facilita a venda de seus produtos

4 dicas para fazer uma gestão de estoque em casa

Compartilhe esse post: