Definindo uma estratégia de marketing digital para seu e-commerce

Compartilhe esse post:

Uma boa estratégia de marketing para o e-commerce requer alinhamento entre dinheiro, metas e canais de divulgação

Uma boa estratégia de marketing digital contribui muito para divulgar uma marca ou produtos de um e-commerce. Para isso, é preciso analisar cada etapa de sua campanha, definindo objetivos claros, canais de venda, valor disponível para investimento e métricas para acompanhamento de resultados.

A seguir explicamos melhor como definir sua estratégia de marketing digital:

Investimento:

O primeiro passo é entender qual a quantia mínima e a máxima que você possui para investir em ações de divulgação de seu e-commerce.

Conforme os resultados chegarem, você pode ampliar esse valor – o que é ideal – mas é muito importante saber a sua realidade atual. Um valor muito baixo pode restringir demais suas opções de divulgação, mas um orçamento a partir de R$1 mil já começa a fazer sentido para alguns canais.

Ah, seja lá qual o valor definido, entenda que é preciso que o investimento seja realmente um investimento. Isto é, que ele te traga retorno com as ações. Não há como garantir isso, claro, mas traçar uma boa estratégia pode aumentar o potencial de suas campanhas. 

Objetivo:

Esta etapa é muito importante, em especial para você saber mais tarde quais métricas fazem sentido para acompanhar conforme seu objetivo.

Se você quer aumentar vendas e receita, por exemplo, ter muitas curtidas em seus posts no Facebook nem sempre irá te ajudar. Neste caso será importante ter bons resultados de conversão!

O que você deve questionar aqui é o que pretende com as campanhas:

  • Tornar sua marca mais conhecida
  • Divulgar um produto ou uma linha de produtos
  • Gerar engajamento com sua marca
  • Gerar conversão de vendas

Você pode ter mais de um objetivo? Sim, mas é fundamental que haja um objetivo principal, para onde você olhe ao mensurar os resultados de suas ações. 

Se você quer tornar a marca mais popular, será muito bom se gerar algumas vendas também, mas é essencial que as ações geram maior engajamento com sua empresa, mais pessoas acompanhando seus canais e acessando o site.

A pergunta é: o que é importante para você e o que você espera que a campanha te entregue em relação ao seu e-commerce?

Canais de divulgação:

Com a definição dos objetivos fica mais fácil analisar quais canais de divulgação irá utilizar e quais tipos de campanhas mais fazem sentido em sua estratégia de marketing.

O Google Ads, por exemplo, é a ferramenta de mídia do Google que permite criar anúncios em texto, com base na pesquisa por palavras-chave, e em Display.

Os anúncios em texto costumam ser muito bons para gerar vendas, já que podem interagir com o cliente em um momento em que ele está pesquisando sobre um produto, ou seja, mostrando um interesse sobre ele.

Os anúncios em texto são cobrados por clique, por isso, se você quer fazer uma ação massiva de divulgação de sua loja, teria que usar termos de pesquisa muito abrangentes, o que poderia encarecer muito sua campanha. Por esse fator, raramente as empresas optam pelos anúncios em texto na hora de divulgar uma marca e preferem usar estes anúncios na hora que querem gerar vendas imediatas.

Já os anúncios em Display podem ser cobrados por visualizações e eles costumam fazer mais sentido para estratégias de exposição de marca e engajamento.

Além do Google, você pode olhar cada canal que pode te ajudar na divulgação de seu produto, sempre separando aqueles que fazem sentido com sua estratégia e tenham um público similar ao que você deseja atingir:

  • Google Ads
  • Facebook Ads
  • LinkedIn
  • Instagram
  • Twitter
  • E-mail

Depois, é só ativar a campanha, tendo muito cuidado com a qualidade do  texto, foto e/ou vídeos utilizados. Além disso, fique muito atento ao segmentar a campanha, seja por região ou perfil de interesse.

Como você tem um e-commerce, a segmentação por região só fará sentido se você quiser restringir as áreas de entrega de seus produtos. Do contrário, se tiver facilidade de vender e entregar seu produto para qualquer região, vale deixar a abrangência nacional.

Métricas (KPIs):

Finalmente é hora de definir quais as métricas, ou seja, os dados de performance da campanha irá analisar. 

Uma ação pode trazer inúmeras informações sobre a interação das pessoas, mas é aqui que você deve se ater ao seu objetivo para não se perder em um emaranhado de números e nem ficar preso a métricas de vaidade.

Métricas do que?

Isso mesmo: de vaidade. É assim que costumamos chamar aqueles dados que parecem que você se saiu muito bem, mas no final das contas não entregam resultados nos fatores que você considera fundamentais.

Se você queria gerar vendas, e suas ações tiveram muitos acessos, cliques e comentários, elas foram excelentes para gerar engajamento. Mas, se na última linha elas geraram menos vendas do que o que você investiu, a ação não se pagou. 

Por isso, fique sempre de olho nos dados que estejam relacionados ao seu objetivo principal porque eles é que irão responder se você tomou boas decisões ou se, na próxima vez, terá que reajustar sua estratégia.

Assim como acontece com as vendas do e-commerce, onde o risco do negócio pode fazer com que se perca algum dinheiro no início, por devoluções, itens com problema, etc, o mesmo pode acontecer com suas primeiras campanhas. O fundamental é aprender com os números e, aos poucos, conseguir faturar bem mais do que se investiu.

Não tem dinheiro nem para começar?

Para empresas muito pequenas pode ser difícil conseguir um investimento até para começar. Aqui uma boa dica é olhar para as alternativas baratas ou gratuitas que podem te ajudar a conquistar mais vendas ou exposição de marca.

Criar um perfil gratuito em rede social e fazer postagens interessantes pode aproximar seu público de você, por exemplo.

Outra opção é cadastrar seu e-commerce em marketplaces, ou seja, sites de grandes lojas que permitem um modelo de venda em parceria. Nesse modelo, você cadastra e vende seus produtos nestes endereços, utilizando a relevância e tráfego que as marcas do marketplace já possuem.

A aposta nos marketplaces é benéfica principalmente porque faz uma espécie de marketing de performance, onde você não paga nada para começar a vender e só tem um custo de comissão por venda fechada através do canal. Para quem não tem nada ou muito pouco para investir, isso é excelente já que a cobrança só começa quando você começa a receber pelas vendas.

Outra vantagem é que, mesmo que sua marca cresça, as vendas do marketplace podem ajudar a compor sua receita.

No final, não importa quais canais você escolha para suas ações, desde que você tenha um bom conhecimento sobre sua realidade, objetivos e saiba para onde seguir com sua estratégia de marketing digital.

Leia também:

Como definir sua estratégia de publicidade no marketplace?

Como usar a curva ABC para analisar a performance dos seus produtos

O que é e como vender no B2W Marketplace?

Compartilhe esse post: