Acelere na Black Friday: como se diferenciar com conteúdo para e-commerce?

Compartilhe esse post:
conteúdo para e-commerce

Especialistas da BCreative Content, agência de conteúdo da B2W Digital, trouxeram dicas para aumentar a visibilidade e as chances de vender online

O “Acelere na Black Friday”, mês de conteúdos realizado pelo B2W Marketplace para capacitar lojistas a tempo da maior data do varejo, continua!

Na quinta-feira, 17, foi a vez de Vanessa Santos e Gabriela Meneses, especialistas da BCreative Content, trazerem muita informação, explicando como criar anúncios vendedores, tirar boas fotos e caprichar na descrição de itens para impressionar o cliente e sair na frente da concorrência independentemente do canal de venda online escolhido.

Confira a seguir as dicas para descrever e ilustrar seus produtos e garantir o sucesso da sua loja na Black Friday que vem aí:

O que é conteúdo?

Vanessa abriu o papo explicando o que, de fato, é conteúdo. “Conteúdo é tudo o que o cliente vê no seu site ou em um marketplace e resolve um problema dele”, disse. Mas atente-se: não é algo que se possa deixar para depois. “Decidiu vender online, é a primeira coisa que você tem que fazer”, explicou. “É algo indiscutível”.

Entre os perigos de não caprichar na criação de um anúncio estão vendas mais baixas, que, ocasionalmente, podem não ser justificadas. “Se você não trabalha bem o conteúdo, pode ter uma visão errada de que seu produto não deve ser vendido pela internet”, falou Vanessa. “Aí, quando você vai ver, a imagem não está boa, o texto não está adequado para uma busca online, você não mostrou todos os atributos do jeito que a pessoa procura…”

É por isso que é tão importante desenvolver anúncios informativos e atraentes, do título à descrição, passando por imagens que mostrem com clareza o que está sendo vendido.

Comece pelo título

O título é a primeira etapa do processo, o elemento responsável por apresentar o que é o seu produto. “Ele é um campo privilegiado e tem um peso muito grande, porque é a primeira coisa que o cliente vai enxergar”, disse Gabriela.

Ao construir seu título, o ideal é começar pelo termo mais comum pelo qual o público se refere ao produto, por exemplo, uma caneca. Depois, inclua especificações, como o modelo, a marca e até três atributos importantes e diferenciadores. “Olhe para o item e coloque-se no lugar de quem vai procurar por ele”, aconselhou. “Todo mundo é consumidor em algum momento. Veja as características mais importantes do produto e anote todos os seus diferenciais. Assim, você consegue construir o título de uma maneira que flua naturalmente”.

Dê atenção à criação do título porque ele é essencial para aparecer em uma boa posição nos resultados das buscas. “Ganhamos relevância de acordo com os termos usados”, disse Gabriela. “Quanto mais termos relevantes usarmos, mais chances temos de aparecer para a pessoa certa no momento certo e converter a busca em uma venda”.

A maior parte dos sites de buscas e marketplaces trabalham com a métrica de 60 a 70 caracteres. Isso não significa que o seu título deve se ater a esses números, mas que as principais características devem caber ali, porque as outras informações serão cortadas nos resultados.  Por isso, avalie as características mais buscadas e que devem ser priorizadas, trabalhando com a hierarquia de informação. “Pense em ordem decrescente”, sugeriu Vanessa. “Comece pelas principais informações até as nem tão relevantes”.

Não economize na descrição

“A descrição é a sua oportunidade de ser o vendedor online”, disse Gabriela. Na loja física, o consultor de vendas esclarece dúvidas e apresenta os benefícios do produto. Já no ambiente virtual, isso não acontece. É aí que entra o descritivo.

“É o momento de dissecar tudo o que for relevante a respeito do seu item”, disse ela. “Conte o que é bacana nele, pense nas dúvidas que possivelmente surjam após a compra, como modo de usar, use variações do nome do produto para tentar aumentar visitas e responda às principais perguntas que o seu público pode ter”.

Idealmente, um bom descritivo deve ter uma quantidade mínima de mil caracteres. “Não é ‘encher linguiça’”, brincou. “Seja direto, fale o que precisa ser dito, inclua todas as informações possíveis, mas lembre-se de que não fazemos conteúdo para a ferramenta de busca, fazemos para pessoas”. Tangibilize diferenciais, trazendo-os para a realidade do seu público. Como, quando e onde o produto pode ser usado?

Vale usar técnicas para guiar a leitura do seu usuário. Use negrito, quebre o texto em tópicos ou em parágrafos de três a quatro linhas. Isso facilita a compreensão e até a disposição do público! “Na internet, as coisas são muito rápidas. Se a gente bate o olho e acha que é muito texto, não lemos”, explicou Gabriela. Com o conteúdo bem distribuído, as chances de o seu cliente ler tudo são mais altas.

Ficha técnica também é conteúdo

A ficha técnica não é só importante na hora de cadastrar do item. É o lugar em que o cliente busca informações como dimensões e medidas, que devem ser fornecidas de forma objetiva.  

“Esses dados ajudam com os filtros dentro do e-commerce e do marketplace”, lembrou Gabriela. “Quanto mais você trabalhar as informações, melhor para mostrar seus produtos e converter mais vendas”.

Bem na foto

Para Vanessa, descritivo e imagem se complementam. Uma boa fotografia não exige equipamentos profissionais, mas deve ser tirada com cuidado, estar em alta qualidade e permitir que o cliente dê zoom. “A primeira impressão é a que fica”, alertou.   

A foto pode ser responsável pela tomada de decisão de compra. “É até uma questão sensorial”, explicou Vanessa. “Para o cliente, é como se ele estivesse em uma loja física tocando o produto”.

Vanessa sugere que o anúncio mostre o produto em um fundo branco, bem iluminado, que destaque o item e suas características, e, se possível, aplicado em uma situação do cotidiano, em um ambiente em que ele seja utilizado. “Além de deixar claro onde o produto é usado no dia a dia, assim você mostra na prática dimensões como altura e tamanho”.

Pense em quem está no celular

Hoje em dia, grande parte das compras pela internet são realizadas pelo celular. Por isso, na hora de criar título e descrição e fotografar o seu produto, tenha em mente que ele vai ser visto em uma tela pequena.

“61% dos usuários ficam inclinados a abandonar uma página se a experiência móvel não for das melhores”, disse Gabriela. “Verifique se seu site ou o marketplace onde você vende está preparado para atender a diferentes dispositivos”.

E o seu conteúdo, está pronto para a Black Friday?

A data mais esperada do varejo está chegando, e Vanessa e Gabriela destacaram a necessidade de começar a se planejar desde já. “Faltam pouco mais de dois meses, mas agora é a hora de indexar itens nos buscadores, trabalhar os diferenciais e analisar a concorrência”, disseram. “Combine plataformas e mídias, usem vídeos e capriche nos textos e imagens. Às vezes o produto é bom, só não está bem explicado. Divulgue, use todos os canais que puder”.

“A Black Friday é a nossa copa do mundo”, brincou Vanessa. Pensando nisso, este é o momento de colocar essas dicas em prática e sair na frente!

A programação do “Acelere na Black Friday” continua amanhã, às 18h, no canal do B2W Marketplace no YouTube. Para conferir a programação completa, fazer sua inscrição gratuitamente e ter acesso a conteúdos exclusivos, clique aqui!

Compartilhe esse post: