7 dicas para a venda de produtos de pet shop pela internet

Compartilhe esse post:
pet shop

As vendas de produtos de pet shop pela internet continuam crescendo. Conheça as oportunidades e benefícios de fazer parte deste mercado e apostar nas vendas online

A categoria de pet shop e produtos para animais é uma das que mais cresce no Brasil. Mesmo em tempos de pandemia, a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) estima que os lucros do segmento se manterão estáveis em 2020, com pouca oscilação em relação ao faturamento de R$ 36 bilhões do ano passado. Além disso, a associação aponta que o Brasil segura a segunda colocação no faturamento mundial em produtos de pet shop, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. 

Unindo essas informações aos benefícios e ótimos resultados conquistados quando se vende online, fica cada vez mais claro que investir na venda de produtos de pet shop pela internet é uma boa ideia e traz muitas oportunidades. Por isso, confira a seguir dicas para fazer parte deste mercado promissor:

1) Planeje-se 

Comece elaborando um planejamento completo: isso inclui uma pesquisa de mercado (a identificação dos seus futuros concorrentes, a análise de preços praticados pelas outras lojas, os prazos de entrega, as marcas mais e menos vendidas, entre outros detalhes). Além disso, faça uma análise dos pontos fracos e fortes do seu pet shop e outra dos pontos dos vendedores que competirão com você.

Defina também o público-alvo da sua loja. Quem você espera que compre seus produtos? Pense na idade, hábitos e classe social dos seus clientes, porque com essas informações em mãos, fica mais fácil elaborar estratégias de comunicação e precificação mais assertivas.

Depois, vem o planejamento financeiro. Levante todos os gastos que o seu pet shop virtual pode ter, como a compra dos itens que você vai vender (pesquise marcas e fornecedores e defina o seu nicho com base no público-alvo definido ali em cima), custos com tecnologia (por exemplo, para hospedar e manter a sua loja no ar), armazenamento (onde vai ficar o seu estoque?), marketing e entregas. Uma boa alternativa para economizar é fazer parte de um marketplace: você não paga nada para anunciar e vender seus itens, poupando gastos com um site, e ainda conta com soluções completas de armazenamento, marketing e logística. Saiba mais aqui.

Por fim, estabeleça metas e crie um cronograma com expectativas para curto, médio e longo prazo e as medidas a tomar para atingi-las.  

2) Crie o seu portfólio de produtos 

Após estudar a concorrência e definir a segmentação do seu pet shop, é hora de montar o portfólio de produtos que você vai vender. 

Investir em itens de grande procura, como rações, tigelas, brinquedos e banheiros é uma aposta segura, mas tudo vai depender dos seus objetivos e do público que você busca. Isso porque o mercado de produtos para animais é amplo: você pode vender de shampoos a casinhas, passando por coleiras, lacinhos, escovas e outros acessórios, não só para cães e gatos (os maiores “consumidores” dessas lojas), mas para pássaros e até animais de grande porte também.

Se couber no seu orçamento, trabalhar com marcas conhecidas pode ajudar a trazer visibilidade e credibilidade à sua loja, atributos que podem acabar se convertendo em vendas.  

3) Seja visto 

Agora, é hora de fazer com que o seu pet shop apareça. Capriche na criação da identidade visual, com logotipo marcante, monte perfis nas redes sociais em que você tiver identificado que o seu público-alvo costuma frequentar e alimente-as com conteúdo com frequência, construindo um relacionamento com seus clientes – os que já existem e os que você pretende conquistar.

Uma dica importante é fazer parte de um marketplace. A visibilidade trazida por esse modelo de comércio não pode ser subestimada: com milhões de visitas diárias, contar com a base de clientes de grandes sites como a Americanas, o Submarino e o Shoptime pode ser uma grande vantagem competitiva. Use-a a seu favor! 

Lembre-se também que alguns marketplaces oferecem planos de publicidade que podem potencializar ainda mais a venda dos produtos do seu pet shop nesses sites. Conheça mais aqui. 

Outra coisa a se ter em mente é que o mercado pet possui um calendário intenso de feiras e eventos durante o ano todo. Participar destes encontros – e lives, nesse momento – pode ser positivo para aumentar a sua base de clientes, ficar por dentro das tendências de mercado e se aproximar cada vez mais de fornecedores e consumidores. 

4) Destaque-se no seu bairro

Sabia que vender produtos de pet shop pela internet pode aumentar seus resultados também na sua região? Além de fazer com que suas lojas sejam vistas por clientes de todo o Brasil, alguns canais, como o B2W Marketplace, possibilitam que vendedores parceiros segmentem a venda para quem estiver perto da sua operação, cuidando até da entrega, que pode acontecer no mesmo dia da compra. Saiba mais sobre essa modalidade de entrega aqui.

5) Considere criar promoções 

Descontos são uma estratégia eficiente para conquistar e fidelizar clientes. Considere criar ações promocionais para o seu pet shop, como montar kits de produtos que costumam ser comprados juntos (como um saco de ração e a tigela para servi-la), sempre observando o que cabe no orçamento da sua loja.

6) Atenção à sazonalidade

Como em todos os segmentos, é importante se manter atento à sazonalidade do mercado pet. Roupinhas e cobertores não são os itens mais vendidos nos meses de verão, por exemplo. Acompanhe os hábitos do seu público e aja de acordo com eles.

7) Todo mundo gosta de mimos 

Até os clientes de quatro patas! Se estiver dentro dos custos previstos do seu pet shop, procure enviar com os pedidos um presente simples, como amostra grátis de biscoito, sachê, bolinha ou uma pelúcia: bicho e donos ficarão felizes, e a satisfação pode garantir futuras compras na sua loja virtual.

Aproveite as dicas e boas vendas!

Leia também:

Por que aproveitar as vendas de produtos para pets no B2W Marketplace?

O que é marketplace e como ele facilita a venda de seus produtos?

Como vender online e fazer entrega na vizinhança?

Compartilhe esse post: