5 dicas de vendas para quem quer começar um negócio na internet

Compartilhe esse post:
dicas de vendas

Confira as principais dicas de vendas para iniciar seu negócio na internet de forma sólida e de olho no crescimento a longo prazo

Começar um negócio na internet nem sempre é fácil. Mas com a situação imposta pela pandemia, a necessidade de estar presente no digital ficou ainda mais urgente. 

Nessa pressa de começar, é importante não perder o foco de se planejar e iniciar as vendas da maneira correta, estudando e explorando o mercado digital com inteligência – nada feito às pressas e nem no desespero.

Para entender melhor estes pontos importantes, no início de junho promovemos uma série de lives da Semana do MEI, focada em auxiliar o microempreendedor nesse momento. As dicas que você vai ler abaixo são todas de lá, da edição que contou com a presença de Mayra Gianoni, gestora da Universidade B2W Marketplace, Bruno Oliveira, CEO do E-commerce na Prática e Jhonatas Roque, fundador da Casa roque e parceiro do B2W Marketplace. 

Confira algumas dicas de venda da live que podem ajudar seu negócio:

1) Comece pelo digital

Se antes o e-commerce era visto como oportunidade, algo a se colocar no radar pelos varejistas que estavam começando ou já tinham uma loja física, por exemplo, hoje em dia tornou-se uma questão de sobrevivência, segundo Bruno.

Para ele, os que estão começando um negócio agora devem se planejar para iniciar no digital e só depois, com a estruturação do negócio online, expandir para o físico.

Jhonatas também concorda que estar nos meios digitais se tornou imprescindível na realidade atual.

dicas de vendas

2) Tenha planejamento e estratégias

Outra das dicas de vendas mencionadas na live é para o varejista se planejar para as vendas na internet.

O lojista precisa entender que o universo digital é diferente do físico: público e concorrente variam de canal para canal e, mesmo o preço aplicado nos itens, pode ter necessidade de alteração entre os praticados nas vendas do on e offline.

Hoje em dia, Bruno destaca que há muito mais informações do que há 20 anos, quando ele começou na internet. Por outro lado, a concorrência e o consumidor também estão mais informados e, por isso, o lojista tem que se manter cada vez mais estratégico.

Jhonatas – que hoje tem o auxílio de 5 costureiras da sua região ajudando no negócio – mostra que percepções aparentemente simples podem dar muito resultado e destaca a necessidade de olhar para seu entorno na hora de começar. Conhecer quais itens ou fornecedores estão mais acessíveis em sua região, por exemplo, pode sinalizar um ramo de negócio onde você terá facilidade de iniciar e escalar profissionalmente. 

3) Construa um relacionamento com o cliente

A terceira das nossas dicas de vendas é que é importante investir no relacionamento com o cliente. Enquanto na loja física há um vendedor simpático e bem informado para atender o cliente, no online a loja precisa pensar em caminhos para construir essa relação. É preciso dar as informações que o cliente busca, entendendo sua jornada de compra em todos os canais que afetam sua decisão.

Bruno cita a necessidade de criar conteúdos de valor para o público, entendendo que isso não é a mesma coisa que a oferta ou a venda em si. É preciso pensar em como impactar o cliente nas redes sociais, buscadores e em cada canal de venda onde você está presente.

Jhonatas cita que começou um canal no Youtube, criando conteúdos atrelados a seu produto justamente para fornecer mais informações sobre o que vende e, assim, criar uma boa relação com seu cliente.

Além disso, eles destacam que o relacionamento não acaba com o fechamento do pedido, mas a experiência da compra impacta totalmente na construção de uma relação de longo prazo. Segundo Bruno, a última coisa que o cliente quer receber após a compra é o produto. O código de rastreio e a embalagem do item devem ser mapeados pelo lojista como pontos que afetam a visão do consumidor, até mesmo antes dele abrir o pacote e consumir o item comprado.

4) Tenha a capacidade de adaptação

Menor custo, abrangência maior (nacional ou mundial) e disponibilidade 24 x 7 para atender o cliente foram alguns pontos que Jhonatas apontou como motivações que o guiaram a iniciar um negócio on e não offline.

Além disso, ele destaca algumas oportunidades de aprender sobre o mercado ao vender no online e a facilidade (e necessidade) de adaptação. 

Quando Jhonatas notou que sua loja de artesanatos poderia não só vender para o cliente final, mas que havia demanda pela própria matéria prima por parte de outros artesãos, ele não perdeu tempo e também começou a vender esses itens.

5 – Já comece profissionalmente e pronto para crescer

Além da maior facilidade de criar um CNPJ hoje em dia, do que nos anos 2000, quando Bruno iniciou as vendas, ele destaca que há alguns bônus para quem é formalizado e indica que os lojistas já iniciem um negócio profissionalmente. 

Bruno destaca que contas jurídicas podem ter algumas facilidades, como crédito, conseguem ter maior organização contábil, separando as contas físicas e jurídicas, além de darem maior segurança para o cliente com o fornecimento da nota fiscal.

Segundo Jhonatas, suas maiores motivações para ter um CNPJ foram a de ganhar a confiança do consumidor, além de conseguir melhores condições com fornecedores, já que muitos deles simplesmente não atendem CPFs.

Hoje em dia, Jhonatas, que começou como MEI, está migrando para a categoria ME, após atingir o limite de faturamento com o crescimento das vendas  na pandemia. 

Veja o vídeo completo da Semana do MEI com mais dicas de vendas para começar seu negócio na internet:

Leia também:

5 passos para criar uma estratégia de vendas campeã no e-commerce

Por que é estratégico vender no marketplace?

9 desafios de vendas que todo varejista precisa superar

Compartilhe esse post: