4 dicas para fazer uma gestão de estoque em casa

Compartilhe esse post:
estoque em casa

Para quem pretende manter o estoque em casa, é preciso ficar atento às melhores práticas para fazer isso pensando na gestão e proteção das mercadorias

Fazer a gestão de seu estoque em casa não é tarefa fácil. É muito fácil os produtos da empresa acabarem se perdendo entre os objetos domésticos ou sendo danificadas por estarem em um local pouco adaptado para isso.

Mas, isso não quer dizer que não dá para manter o estoque em casa e mesmo assim fazer uma boa gestão de seus produtos e sua loja. Para isso, basta manter a atenção a alguns fatores e uma bela dose de organização.

A seguir, separamos 4 dicas para quem deseja montar uma loja mantendo o estoque armazenado no ambiente doméstico. Confira!

1 – Separe um espaço só para isso

Para organizar seu estoque em casa, é preciso escolher um espaço dedicado para acomodar seus produtos.

Esse local precisa ser limpo e arejado para não danificar seus produtos e pode ser desde um cômodo inteiro a uma prateleira. Vale entender sua possibilidade e necessidade no momento.

O mais importante é separar aquilo o que é seu, daquilo que pertence ao negócio e precisa ser gerenciado com muito cuidado por sua loja.

2 – Tenha um sistema de controle de entradas e saídas

Procure manter todas as informações relacionadas a entradas e saídas de itens devidamente anotadas e com fácil visibilidade para consulta.

Você pode começar com papel e caneta ou uma planilha, mas com o tempo, o ideal é manter isso em um ERP, mesmo que seja dos mais básicos, pois isso irá facilitar o controle de seus produtos.

Se você pensa em vender em canais diferentes: em um e-commerce e em uma loja física ou em mais de um marketplace, por exemplo, os ERPs vão ajudá-lo a controlar melhor o estoque em todos os lugares ao mesmo tempo.

3 – Organize seus itens com base na Curva ABC

A Curva ABC ajuda entender quais são seus produtos mais e menos vendidos. A partir dessa visão fica mais fácil organizar seu estoque com base na relevância e venda de cada item.

Deixe os espaços mais visíveis e de fácil acesso para os itens mais pedidos. Já aqueles com menor número de clientes ou com solicitações feitas apenas esporadicamente até podem ficar em locais que exigem maior esforço pra acessar, como lugares mais elevados ou mais baixos nas prateleiras.  

4 – Utilize a Matriz Covey para gerenciar pedidos e estoque

A Matriz Covey tem 4 segmentações:o que é importante e urgente; o que é importante, mas não é urgente; o que não é tão importante, mas é urgente; o que não é tão importante e nem urgente.

A reposição do estoque de um item que é muito vendido, por exemplo, é algo que pode ser entendido como importante e urgente ao mesmo tempo tempo. Por isso, é algo que precisa ser feito com prioridade.

Encontrar mais opções de fornecedores do seu produto mais vendido é algo importante, mas não tão urgente…

Vale entender onde se encaixa cada tarefa que precisa executar dentro dessas 4 divisões para saber quando priorizar cada demanda de sua lista evitando prejuízos estruturais no negócio.

Leia também:

O que é B2W Entrega e como ele te ajuda na logística do marketplace?

Quando e por que vale a pena contratar B2W Fulfillment?

Como fazer ações para a queima de estoque de seus produtos?

Compartilhe esse post: