Vendendo na internet: o passo a passo para você começar (sem custo)

Compartilhe esse post:
vendendo na internet

Se você ainda não está vendendo na internet, aproveite para ver estas dicas de como começar seu negócio online de forma simples e rápida

Já está vendendo na internet? Ainda não? Pois bem: não existe uma regra de como começar a disponibilizar seus produtos online. O fato é que, para quem deseja iniciar as vendas de uma forma mais profissional, só que tem poucos recursos para investir, os marketplaces podem ser a melhor saída.

Marketplaces são grandes e-commerces que deixam praticamente qualquer lojista se cadastrar e vender neles. Basta que estas lojas atendam a algumas regras que formalizam o negócio judicialmente e permitam o processo de venda de forma transparente para todos os envolvidos: o canal de vendas, a loja e o cliente.

Mas, quais são essas “regrinhas” que os lojistas devem atender, afinal? Aqui vão elas!

Regras para vender nos principais marketplaces

  • Vender bens de consumo legalizados – toda sorte de produtos pode entrar nas vendas dos marketplaces, mas estes itens precisam ser legais e, se forem de alguma marca restrita a representantes autorizadas, será importante ter um papel comprovando essa permissão. Se a marca não é protegida ou se o item é de fabricação própria, mais fácil ainda, é só entrar! 
  • Ter CNPJ ativo e CNAE no varejo – para vender de forma profissional é importante ter um CNPJ, mesmo que seja como MEI. Isso facilita uma relação comercial em maior conformidade com a Lei. Ah, e, claro, o CNPJ precisa ter autorização para vender no varejo. Ou seja, ele precisa de uma Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) associado ao ramo varejista;
  • Emitir nota fiscal – é importante que a loja emita notas fiscais, eletrônicas (NF-e) ou avulsas (NF-a), pois dessa forma a loja atende uma exigência do cliente e garante maior transparência legal em todos os seus processos, o que é fundamental!
  • Conta corrente vinculada ao CNPJ – também para dar maior transparência aos valores de vendas que correspondem à sua pessoa jurídica, é essencial ter uma conta corrente empresarial vinculada ao seu principal CNPJ. O ideal é fazer isso em um banco homologado ao BC, ou seja, o Banco Central para poder receber de marketplaces.

Com tudo certo é só iniciar seu cadastro de parceria!

Como funciona o cadastro de parceria?

Vale lembrar que não há nenhum custo embutido no cadastro de parceria com os marketplaces. É possível subir sua loja sem investir nada, pagando apenas uma comissão sobre o valor do pedido fechado na plataforma. No B2W Marketplace, por exemplo, essa taxa é de 16% sobre o valor vendido (produto + frete).

O que está incluso nesse valor? Acesso à plataforma de vendas, segurança, meios de pagamento, treinamentos de vendas, serviços auxiliares como, por exemplo, na parte de logística de entrega e muito mais! Outro ponto importante é poder receber todo o valor da venda de uma só vez, mesmo que o cliente tenha dividido a compra em várias parcelas.

Fazendo seu cadastro

Com toda a documentação, é hora de se cadastrar. Para isso, basta acessar o cadastro no site do marketplace e preencher suas informações.

Elas serão analisadas e então você receberá um e-mail para prosseguir com o cadastro. Nesta etapa será preciso fornecer alguns outros dados e também começar a configurar sua loja, colocando informações da empresa, logotipo e cadastrando seus produtos.

Os produtos novos cadastrados no marketplace passam por uma outra etapa de aprovação, para checagem da conformidade entre os itens vendidos e as regras do site. Mas esse processo costuma ser bem rápido e logo você poderá começar a vender!

Outro ponto importante é que alguns canais podem oferecer treinamentos de vendas, o que significa que você terá auxílio em cada etapa, desde o cadastro de sua loja, até como aprender a ser mais competitivo para vender mais e melhor dentro dos sites.

Não custa nada começar e você só paga o canal se e quando vender!

Leia também:

Como vender online e fazer entrega na vizinhança?

Coronavírus: o que o pequeno varejista pode fazer para atravessar esse momento?

8 maneiras de manter a produtividade (e bem-estar) trabalhando em casa

Compartilhe esse post: