Como montar uma loja de produtos naturais?

Compartilhe esse post:
produtos naturais

Veja algumas dicas para montar sua loja de produtos naturais

Aquelas lojinhas que vendem castanhas, cereais e produtos naturais a granel estão expandindo, quer seja no mundo físico ou no virtual. Isso porque o consumidor está muito mais interessado em comer bem e viver melhor, cuidando da saúde e se preocupando com o impacto social e ambiental de sua alimentação.

Segundo o estudo Estilos de Vida 2019, da Nielsen, o consumidor está com maior foco na saúde e preocupação com o meio ambiente. Alguns temas que estão na rotina do brasileiro são:

  • Sustentabilidade: 42% estão mudando hábitos de consumo para reduzir o impacto no meio ambiente;
  • Alimentação saudável: 57% reduziram o consumo de gordura e 56% diminuíram a ingestão de sal;
  • Negociação:  64% disseram que escolhem as marcas pelo baixo preço;
  • Conexão: 64% tem um smartphone;
  • Praticidade: 55% dos entrevistados vai direto à loja para efetuar a compra.

Vale ressaltar que 73% dos consumidores de produtos saudáveis afirmam que gastariam mais com marcas que se preocupam com o meio ambiente, mas 43% deles declaram que ainda é difícil encontrar produtos sustentáveis nas lojas.

Como você vê, existe muita oportunidade de se inserir nesse mercado, mas é preciso planejamento e uma definição básica para dar o pontapé inicial: decidir quais produtos naturais sua loja irá vender.

O que vender?

O primeiro passo é definir seu sortimento e, muitas vezes, a melhor pedida é ter um estoque variado, que atenda a diferentes perfis de público que buscam itens naturais: quer seja por saúde, por posicionamento social/ ambiental, por estética, entre outros.

Por outro lado, você pode sim focar em um público específico se assim desejar, tendo menor variação nos produtos, mas se tornando referência para um determinado perfil de consumidor. Ex: uma loja focada em veganos pela causa animal precisa deixar itens como ovos e carne de lado.

Outra opção é escolher um leque de produtos com foco no investimento inicial. Se o dinheiro é curto, vale evitar produtos que exijam a compra de freezers especiais e displays climatizados, que podem elevar seus custos. 

Alguns itens que podem estar em sua loja de produtos naturais são:

  • Grãos de diferentes tipos;
  • Farinhas e farelos integrais;
  • Temperos sem aditivos químicos;
  • Cereais e barras de cereais;
  • Castanhas e mix de castanhas;
  • Frutas desidratadas e mix de frutas;
  • Ervas e chás;
  • Sucos naturais;
  • Snacks (Ex: chips de mandioquinha, chips de batata doce, etc);
  • Probióticos naturais (Ex: kombucha e kefir);
  • Frutas, vegetais e outros alimentos orgânicos (Ex: ovo orgânico, alface orgânica, etc);
  • Suplementos alimentares;
  • Alimentos sem glúten e lactose;
  • Alimentos sem açúcar e zero gordura trans;
  • Doces com baixo teor de açúcar;
  • Produtos naturais para higiene, limpeza ou estética (Ex: argila, óleo essencial, detergente neutro, etc).

Ah, fique muito atento sobre a procedência dos seus produtos, já que a ingestão de alimentos de má qualidade ou uso de produtos de beleza não inspecionados podem colocar seus clientes em risco. Procure sempre por fornecedores de sua confiança e  com certificação da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Além disso, tenha um estoque limpo e organizado para evitar contaminação, e sempre se atente aos prazos de validade dos produtos.

Loja física ou virtual?

Loja física pequena

Espaço: para uma loja pequena, o Sebrae indica um espaço de cerca de 60 m² para o escritório, estoque, mini copa, banheiro e área de exposição de produtos

Equipe: quanto aos funcionários, a recomendação é de um mínimo de dois vendedores, além do gerente.

Custo médio mensal: uma loja pequena pode ter um custo inicial mínimo de R$10 mil. Claro que o valor pode variar conforme o tamanho do negócio, localização, especialidades, etc.

Equipamentos: alguns equipamentos que você precisa são prateleiras, gôndolas e mostruários para os produtos, balcão, freezers, eventualmente, além de materiais de escritório como computador, telefone, máquina de pagamento, caixa registradora, etc.

Além disso, lembre-se de mapear todos os custos com contador, impostos, aquisição e armazenamento dos produtos, embalagem e marketing.

Loja virtual própria

Um e-commerce próprio demanda: estoque inicial, plataforma, segurança, meio de pagamento, marketing, contador, impostos, logística de entrega e recursos humanos.

A loja virtual própria te dá total autonomia sobre seu site, mas pode implicar em alguns custos que precisa ser mapeados, especialmente em relação ao marketing, até que sua loja se torne conhecida e relevante para os clientes.

Marketplace

O marketplace não tem custo inicial para uso da plataforma . O lojista só precisa investir no estoque inicial e considerar eventuais despesas com contador, impostos, entrega dos produtos e recursos humanos. 

Para usar o marketplace só é preciso pagar uma comissão sobre as vendas fechadas pelo canal e isso te dá acesso à plataforma, segurança, meios de pagamento, marketing e uma base de clientes já consolidada que compra nos sites.

Se você optar por uma loja física, fique atento a apresentação dos produtos pois eles podem estimular ou interferir na compra: mantenha os displays abastecidos e o espaço bem climatizado e decorado. Além disso, escolha um bom ponto comercial, com grande fluxo de pessoas e espaços próximos para estacionar. 

Caso sua opção seja por uma loja online, lembre de fazer bons cadastros dos produtos pois eles é que farão o papel do vendedor. Além disso, tenha atenção com a entrega dos produtos que deve ser feita com cuidado no transporte dos itens e rápida, para que o cliente tenha maior tempo para o consumo.

Plano de negócios ou MVP?

Para começar a planejar seu negócio e entender estrutura e viabilidade do negócio existem dois modelos que você pode adotar: o Plano de Negócios e o MVP.

O Plano de Negócios é um planejamento completo de como será a estrutura de sua loja de produtos naturais. Ele é muito bom para quem gosta de estruturas mais planejadas e previsíveis para saber o que fazer, quando e como, com uma percepção detalhada sobre o funcionamento  e custos do negócio.

O MVP, ou mínimo produto viável, é um modelo usado por muitas startups de tecnologia, que, por estarem inseridas em um mercado dinâmico, entendem que é preciso começar o negócio rapidamente para não perder espaço e “construir, medir e aprender” com a construção do negócio. Aqui no blog já explicamos mais sobre o modelo de MVP e como usá-lo para montar sua loja.

Leia também:

Guia do MVP: como criar um modelo de planejamento para começar a vender na internet

Competitividade: como vender muito no marketplace (para lojas de qualquer tamanho)

Como saber se a precificação de meus produtos está correta?

Compartilhe esse post: