5 erros que o pequeno empreendedor não pode cometer

Compartilhe esse post:
pequeno empreendedor

Você é um pequeno empreendedor no varejo? Então fuja destes 5 erros em sua gestão

Existem alguns erros que o pequeno empreendedor pode acabar cometendo ao começar o negócio e que atrapalham desde a gestão até o crescimento da empresa a longo prazo. Ao ficar de olho nestes problemas e evitá-los é mais fácil fazer um gerenciamento estruturado do negócio e que favorece seu desenvolvimento com o passar do tempo.

Pensando nisso, separamos 5 erros que o pequeno empreendedor deve ficar atento para não cometer. Confira!

1) Não legalizar o negócio

É possível ter um pequeno negócio, usando poucos recursos e ficar dentro da Lei. E mais do que isso: é importante fazer esse processo para ampliar a reputação, visibilidade e vendas de sua loja.

Você pode se registrar como MEI (Microempreendedor Individual) e aproveitar os benefícios de ter um CNPJ próprio. Essa modalidade de negócio tem isenção fiscal e só exige o pagamento de uma DAS mensal, no valor de 49,90, para que o empresário tenha direito a alguns benefícios, entre eles a previdência.

Um negócio legalizado abre portas para que você faça parcerias estratégicas de vendas e atinja clientes qualificados.





2) Aumentar o faturamento sem ajustar o negócio

Todo MEI tem direito a faturar R$6.750 por mês, em um total de R$81 mil por ano. Se o valor passar disso, é preciso fazer o desenquadramento do MEI

Esse ajuste é muito importante para evitar problemas legais e taxações extras para sua empresa.

Vale lembrar que após sair da categoria MEI para o Simples Nacional (ME ou EPP) você deixa de pagar a DAS mensal e passa a contribuir com uma alíquota sobre seu faturamento mensal. Essa taxa varia entre 4% a 33%. Saiba mais aqui

3) Misturar as contas da empresa com as pessoais

Um erro muito grande é não abrir uma conta corrente jurídica para transacionar as movimentações financeiras de sua empresa. Essa falha pode acabar misturando muito o seu dinheiro pessoal com o da empresa e fazer com que você se perca na gestão.

Para garantir que a empresa está sendo lucrativa, é fundamental separar seu dinheiro relacionado ao negócio e acompanhar se ele está ou não se pagando.

4) Achar que não pode emitir nota fiscal

O MEI muitas vezes erra ao achar que não pode emitir nota fiscal. Na verdade, a emissão é facultativa nesse perfil, mas ela pode ser sim emitida e inclusive é importante para o pequeno empreendedor se posicionar com alguns clientes.

A emissão da nota fiscal não tem custo e basta ter uma Inscrição Estadual e Certificado Digital para começar a emitir a nota fiscal. 

5) Esquecer de olhar para o futuro

Quando temos um negócio, precisamos não só desejar o sucesso dele, mas realmente planejar cada passo para atingir nossas metas.

Mesmo que você comece como microempreendedor, precisa ter um planejamento para quando as vendas crescerem. É preciso saber, por exemplo, como fará a alteração do negócio, como será a estrutura caso a demanda aumente, e qual a capacidade financeira da sua empresa hoje e a projeção a longo prazo.

Além disso, é preciso ter visão a curto e longo prazo, já que você pode enfrentar desafios a qualquer momento. Trabalhar por conta pode gerar muitas facilidades e possibilidades de crescimento, mas também exige muito foco, planejamento e trabalho duro. 

Quando as vendas estiverem boas não pense apenas na recompensa imediata, de aumentar seu salário e de funcionários, mas olhe também para a geração de caixa para a empresa poder enfrentar períodos mais difíceis e até para investir no negócio.

Leia também:

Principais regras e diferenças entre o Simples Nacional e o MEI

Vantagens de explorar canais diferentes para a venda de seus produtos

Como começar um negócio (com menos de R$1000)

Compartilhe esse post: