Da loja física para as vendas online: como, quando e por que é hora de dar esse passo?

Compartilhe esse post:
vendas online

Uma loja física tem inúmeros benefícios na hora de engajar o cliente e criar um relacionamento mais profundo com cada um. O olho no olho, a percepção sobre o momento em que está “perdendo o cliente” e possibilidade de alterar o discurso comercial são sem dúvida pontos muito importantes.

Por outro lado, o aumento de pessoas comprando pela internet é um fato e com esse crescimento das vendas online, ignorar o canal virtual é um grande erro, por isso, explicamos neste artigo como, quando e por que é hora de começar a vender virtualmente?

Vendas online: quando é hora de dar esse passo?

Agora! Isso mesmo, esta é a melhor hora para começar a vender online. Quer saber por quê?

Simples: o e-commerce vem crescendo regularmente ano após ano. Isso significa que quanto mais você adia estar na internet, mais tempo e oportunidades de venda você perde.

O fato é que cada vez mais pessoas se encorajam de comprar na internet e, depois que perdem a resistência, muita gente acaba descobrindo algumas vantagens desse formato, como, por exemplo, a comodidade. Por isso, as vendas online te ajudam a encontrar esse público, gerar impacto com seus produtos e, consequentemente, vendas.

O investimento é mais barato que o de uma loja física – e há opções até sem investimento inicial, como os marketplaces, por exemplo – sendo que há boas chances de crescimento para quem se mantiver atualizado sobre o mercado, e trabalhar bem na gestão e operação do negócio. Tudo isso, claro, pode ser aprendido e aperfeiçoado com o tempo.





Como começar a vender online?

Em primeiro lugar é preciso entender seus objetivos de curto, médio e longo prazo com as vendas do e-commerce e, claro, encarar a realidade de quanto capital você possui neste momento.

Não tem problema se tiver pouco capital inicial, porque o e-commerce é uma operação mais barata que a de uma loja física e, fora isso, você ainda pode começar a vender seus produtos em outro e-commerce reconhecido e sem investir nada para começar. Esse formato é conhecido como “marketplace”. Para ficar mais claro:

Marketplace:

É um e-commerce que já existe, de uma marca conhecida. A plataforma está pronta para você cadastrar sua loja, produtos e vender e não há necessidade de investimento inicial. Você começa a vender e, ai sim, começa a pagar uma comissão sobre as vendas.

A desvantagem é que a plataforma não é 100% sua, por isso, você precisa escolher bons parceiros, com soluções adequadas para sua necessidade. Mas existem várias vantagens também, como o fato de não exigir investimento inicial, ser uma marca conhecida, com público consolidado e gerar muitas oportunidades de venda, com possibilidade de receita em curto prazo.

E-commerce:

É uma plataforma que você precisará criar para sua loja. Até existem algumas soluções simplificadas para iniciar uma loja, mas elas são mais restritas e, se a demanda crescer, será necessário mudar. 

A desvantagem é que, embora seja mais barata que a criação de uma loja física, a loja virtual também demanda algum investimento inicial em plataforma, meios de pagamento, segurança, e etc. Além disso, é preciso investir em marketing para que as pessoas tomem conhecimento de sua loja. A principal vantagem é o fortalecimento da marca (caso consiga consolidar um público) e autonomia em toda a estrutura (se isso for relevante para você).

Um ponto importante é: uma estratégia não exclui a outra. Se você decidir iniciar as vendas com o marketplace, nada te impede de criar seu e-commerce em outro momento. E o contrário também é verdadeiro: alguns e-commerces acabam percebendo o potencial de vendas dos marketplaces e utilizam esse canal como uma forma complementar ao faturamento.

Depois de decidir como irá começar é só começar a se organizar para o projeto sair do papel.

Tirando a proposta do papel

Alguns passos para tirar a ideia do papel são:

  • Estruturar o negócio – criar um plano de negócios ou MVP pode ajudar a visualizar a gestão de suas vendas online. Provavelmente você irá replicar muitos aspectos de sua loja física, mas é importante identificar especificações das vendas online, como o funcionamento da logística de entrega e seu preço de venda na internet – que deve considerar os custos dessa operação e não da loja física.
  • Escolher as ferramentas ou canais parceiros – se optar por um e-commerce é hora de escolher todas as ferramentas que irá utilizar: plataforma, segurança, meios de pagamento, além dos parceiros operacionais para entregar o produto. Já no caso do marketplace, é preciso escolher os parceiros de vendas e também os parceiros operacionais para a entrega. Mas não precisa se preocupar com a estrutura da plataforma nesse caso.
  • Comece a agir! Depois que estruturou o que precisa, é só iniciar seu e-commerce ou firmar as parcerias com os marketplaces. No primeiro caso, será preciso esperar a estrutura ficar pronta e iniciar o cadastro de seus produtos. Já se optar pelos marketplaces será preciso se cadastrar nos sites parceiros, configurar sua loja, produtos e frete para começar a receber pedidos.

Com tudo certo, é só começar suas vendas online e aproveitar as oportunidades desse mercado!

Guia do MVP: como criar um modelo de planejamento para começar a vender na internet

9 pontos essenciais em seu planejamento de vendas

11 dicas para gerenciar as vendas e fluxo de caixa de seu negócio

Compartilhe esse post: